Um motivo pra viver


Ela se aproximou de mim. Era notável seus olhos vermelhos. Senti meu coração apertar. A sensação lembrava algo como um sentimento de impotência. Eu a olhava. Podia notar cada detalhe em seu rosto. As olheiras, a testa franzindo, o seu maxilar tremendo... Seu cabelo estava bagunçado. Ela usava uma roupa amarrotada. Casaco de algo semelhante ao crochê cobria seus ombros. Quanto mais perto ela chegava, mais seus olhos brilhavam. Eram lágrimas prestes a escorrer. Seus braços estavam cruzados enquanto ela caminhava. Talvez só estivesse tentando se proteger do frio. O vento forte batia em seu cabelo e o movimentava continuamente. Cada passo que ela dava era bem suave. Quase não fazia barulho nas madeiras do pier. Ela então caminhou e recostou-se em um poste de iluminação que avia no centro do pier. De braços cruzados, ficou me observando sem dizer almenos uma palavra. Eu então me aproximei lentamente. Cheguei bem perto dela e então observei seus olhos completamente imóveis. Então uma lagrima escorreu de seu olho esquerdo e logo em seguida o direito também derramou.

-Duda, nós temos que conversar...

Ela não me respondia. Nem ao menos movia os olhos.

-Duda, fala comigo...

Ela não dava uma palavra se quer. Então pus minha mão sobre seu rosto, limpei suas lágrimas, mas ela virou o rosto me evitando, e então olhou pro horizonte. Seu olhar era profundo e distante. Não sei ao certo o que se passava em sua cabeça, mas tenho quase certeza de que eram as lembranças. Os dias em que eles se conheceram, o primeiro beijo, os dias de praia, os cinemas juntos... Cada detalhe daquela história linda que eles estavam construindo. Tantos planos eles fizeram juntos e agora não resta mais nada. Meu coração doía. Era como se eu tivesse levado um soco na barriga e aquela falta de ar nunca passasse. Afinal, ele era meu melhor amigo.

-Sabe Pedro, ele era um bom namorado. Foi um bom noivo e com certeza seria um bom marido.
-Eu sei... Foi o melhor amigo que eu poderia ter também.
-Eu vou sentir muita falta dele. Todos os planos que nós fizemos... ( Ela havia desabado em lágrimas nesse momento. ) Tantas promessas que fizemos um ao outro. Ele jurou que nunca me deixaria!
-Eu sei... ( Então a abracei e ela recostou sua cabeça em meu ombro. )
-Queria que isso nunca tivesse acabado. Vou sentir tanta falta do meu amor... ( Ela soluçava em lágrimas. ) Eu pedi a Deus pra me levar também! Não existe mais motivos pra viver! Pedro, eu quero morrer! ( Seu choro era desesperador. )
-Calma Duda! Não fale uma besteira dessas! Ele se foi... Eu sei que esta doendo. Ele era meu melhor amigo e eu também fiquei desolado!
-Ele morreu Pedro! O amor da minha vida morreu! O que eu vou ficar fazendo aqui?! Não tem o menor sentido eu viver!
-Duda! ( Eu a olhava nos olhos repreendendo-a. ) Não fale uma besteira dessas! Ele se foi sim, mas ele deixou um presente pra você!
-Que presente?! A dor da saudade que nunca vai acabar?!
-Não! Um filho!
-Filho? Você esta louco?
-Não! Ele esta dentro de você. ( Segurei em seu ombro e a olhei fixamente nos olhos. )
-Você só pode estar maluco...
-Não estou! Hoje eu sonhei com Rafael. Ele me pediu umas coisas e me contou que você vai ser mãe.
-Eu queria que isso fosse verdade!
-Mas é!

Ela então me abraçou bem forte e chorou. Duda era minha melhor amiga e Rafael meu melhor amigo. Fui eu quem apresentou um ao outro. Saiamos sempre juntos. A perda de Rafael foi algo que doeu muito em todos nós. Todas as nossas lembranças. Todas as farras juntos.... Toda a infância que passamos juntos... Agora só me resta essa imensa saudade. Realmente eu sonhei com Rafael na madrugada em que ele sofreu o acidente. Ele vinha me contar que seria pai e que era o cara mais feliz o mundo por isso! Porém veio reforçar um pedido que ja havia feito muitas vezes. Me pediu para tomar conta da Duda. Me fez prometer que jamais abandonaria ela, e qe custasse o que tivesse que custar, eu sempre estaria ao seu lado protegendo. Só que nesse sonho ele pedia que eu protegesse seu filho também! E que eu seria o Padrinho. Eu tentava o reprimir, mas ele levou a conversa em tom sério e me fez prometer isso. Duda realmente estava grávida. Só em lembrar disso tudo eu me arrepio. Eu sou o padrinho do filho do meu melhor amigo. Rafa se foi, mas nos deixou um grande presente. Tudo foi muito difícil e continua sendo quase insuportável para Duda, mas hoje ela tem um motivo pra viver e seguir em frente. O nome desse motivo? Rafael Júnior.


Comentários