Para isso que servem os amigos



Após toda aquela briga e troca de empurrões, sentei-me ao lado dele e vi que realmente aquelas palavras ásperas tinham algum motivo. Ele Jamais brigaria assim comigo. Não por motivos tão pequenos.

-Eu sei que tu não esta bem meu irmão. Me diga o que esta acontecendo?
-Nada cara. Nada de mais! Relaxa! - Ele respondeu com uma certa ignorância.
-Achei que eu fosse teu irmão. Me enganei? - Perguntei sério.
-Não! Claro que não! Me desculpe...
-Então me conta o que ta pegando mano.
-Cara, pra falar a verdade? Muitas coisas. Muitas mesmo.
-Vai, diz ai rapaz!
-É só que sei la. Algumas coisas estão acontecendo. E outras que eram pra acontecer, mas não acontecem.
-Como o que por exemplo?
-Ah cara! Muitas coisas. Não consigo fazer as coisas que queria fazer, como voltar a estudar por exemplo. Não consigo juntar grana pra tirar a minha carteira de motorista. Ta difícil entrar na faculdade. Nem curso técnico eu consigo cara. Esta tudo muito difícil e eu tenho pouco tempo pra crescer na vida.
-Entendo. Mas cara, você só tem vinte anos! Tu é novo ainda! Que pouco tempo tu tem?
-Eu prometi uma coisa a uma pessoa. E eu tenho que cumprir daqui a cinco anos.
-O que? Pra quem?
-Eu prometi que me casaria com ela.
-Meu parceiro, cinco anos é muito tempo sabia?!
-E se eu não conseguir cara?
-Deus vai te ajudar!
-Mas as vezes fica tão difícil. Não consigo ver a saída para os problemas. Ja chorei muitas vezes no chuveiro por causa disso irmão.
-Cara, se o problema é esse, relaxe e mete a cara nos estudos. É o melhor que você faz. - Ele baixou a cabeça. - Tem algo mais?
-Problemas em casa também me atormentam cara. As coisas as vezes ficam... Sei la. Parece que estou sem saída cara.
-Meu irmão, isso é normal. Também me sinto assim  as vezes. Aliás, que adolescente não se sente assim? Isso é normal cara. Todos tem problemas. Mas o maior deles é saber como lhe dar com os próprios.
-Mas é difícil quando você tem medo dos problemas, como eu tenho.
-Como assim?
-Sei la. Não sei explicar. Só tenho medo de falhar.
-Com ela?
-É. - Seus olhos ja estavam vermelhos.
-Cara, se daqui a cinco anos você ainda não tiver condições ela vai entender. Não é assim que funcionam as coisas irmão.
-Mas é comigo mesmo cara! Não tem só a ver com ela. Eu tenho medo de falhar com tudo o que quero fazer. Com minha mãe por exemplo...
-Irmão, você vai conseguir! Eu acredito em você! E você também sabe que sempre vai poder contar comigo né? O que são esses problemas se comparados a quem você é? Confie em você irmão! Você é capaz! E Deus está ao seu lado! Agora da um abraço aqui no seu brother!
-Desculpe irmão!
-Relaxa! - Eu o abracei e ele sorriu secando as poucas lágrimas que derramou. Levantamos.
-Caio! - Gritou ele.
-O que?
-Pensá rápido! - Ele atirou a chave do seu Cívic em minha direção. Segurei e fiquei olhando pra ele. - Quero ir surfar em Saquarema. Vamos passar em sua casa e pegar sua prancha. A minha ja esta la.
-Mas por que me deu a chave?
-Por que você vai dirigir irmão!
-É nozes então!
-Vamos la! Partiu!
-Partiu!

Sim, somos adolescentes imprudentes. Mas como Pierre sempre diz, "não há nada que um bom dia de surf não cure!" E naquele dia curou tudo!

Comentários