Agora tudo é diferente.

Eu sinto tanta falta de você...
Estava frio. Ja fazia algum tempo que não o via. Hoje completavam 5 anos desde a ultima fez que estivemos aqui. Aquele domingo não estava tão frio quanto hoje. Não sentia esse frio dentro de mim pelo menos. Caminhar até aqui sozinha foi bastante chato. Mas como ele dizia, aqui realmente é a melhor vista da cidade do Rio de Janeiro. A minha frente esta a Baía de Guanabara e milhares de recordações. Vi algumas pessoas pescando. Algumas famílias... Mas a praia esta vazia. Sei que para cada parte que eu olhar, vou lembrar um pouco dele... Um pouco das fotos que tiramos e acabei apagando da minha câmera. É inegável que ele faz falta. Queria ter aqueles braços me envolvendo outra vez. Fiquei ali perdida em meus pensamentos... Senti que uma lágrima desceu do meu olho esquerdo. Baixei minha cabeça e deixei que as lágrimas enfim viessem com mais intensidade. Era o que eu queria mesmo fazer naquele momento. Chorar... Chorar ao lembrar que aquele foi nosso último dia feliz. Nossa última vez juntos. Ao olhar para o lado, notei a árvore em que ele gravou nossas iniciais dentro de um coração. Naquele dia achei isso tão infantil. Mas hoje, era o que eu mais queria... Queria que ele gravasse nossas iniciais juntas em qualquer lugar... Mesmo que fosse na areia da praia... Mesmo que a onda a levasse depois de 10 segundos... Mas queria ser mais uma vez a dona de seus pensamentos. Senti aquele vento frio em meu rosto. Isso fez com que minhas lágrimas secassem. Apoiei meus cotovelos sobre a proteção do calçadão e me perdi em meus pensamentos outra vez... A brisa tocava meu rosto. Escutava passos vindo e indo a todos os momentos, até que deixei de percebe-los. Podia notar o barulho da pequena onda batendo nas pedras. Então fui surpreendida. Senti que alguém se aproximou e também se apoiou na proteção do calçadão, ao meu lado. Quando olhei, vi que era ele.

-Aqui é a melhor vista do Rio de Janeiro na minha opinião. - Disse ele olhando para o horizonte.
-É! Realmente é. - Eu estava desconcertada, procurando uma resposta para lhe dar. - Fica muito mais linda vista por aqui.
-Pois é. De noite ela ainda fica melhor! As luzes acesas chamam bastante atenção.
-Eu ainda não vim aqui de noite.
-Pois deveria. É realmente incrível!
-Virei qualquer dia desses...

Ele nem ao menos me olhou. Apenas fixava seu olhar no horizonte. Eu o olhava de 5 em 5 segundos. Era inevitável! Ele vestia um casaco de moletom azul-escuro, provavelmente da KAYLAND, por baixo do casaco, uma camisa pólo verde-escura, calça jeans e um sapatênis. Seu cabelo estava curto. Pude notar também que estava bastante sério... Completamente diferente daquele cara que conheci a 5 anos atrás. Aquele menino brincalhão havia mesmo se tornado um homem bem sério! Bastante educado também pelo que vi.

-Faz tempo né! - Ele exclamou enquanto eu o olhava.
-É! Não sei. Faz tempo do que? - Eu estava distraída.
-Da ultima vez que viemos aqui. - Disse ele sorrindo. Eu estava bastante envergonhada. Minhas bochechas avermelharão num sorriso constrangido.
-Ah! Sim! Verdade! Na verdade 5 anos...
-É! Eu sei.... - Ele continuou olhando o horizonte.

O silêncio tomou conta daquele lugar. Minha dúvida era: " No que será que ele esta pensando? " Eu jamais saberia mesmo. Apenas continuei olhando o horizonte como ele.

-Por que deixou o emprego com seu pai? - Ele me perguntou sem ao menos me olhar. Eu realmente não poderia dar aquela resposta. Esperei um tempo, mas nada vinha em minha mente. Nada que pudesse mascarar a verdade.
-Ah, razões pessoais. Prefiro não falar disso ok! - Disse eu sendo um pouco grosseira.
-Tudo bem.

O tempo ia passando, mas não havia assunto. Na verdade havia, mas senti que ele evitava tanto quanto eu. A tarde ja estava escurecendo. Algumas luzes se acenderam.
Você nunca muda!

-Nós terminamos. - Ele outra vez retomou o assunto e me surpreendeu.
-Nossa! Eu lamento muito! De verdade. - Realmente expressei meus sentimentos naquele momento.
-Ja faz três meses.
-Ficamos tão distantes que eu nem sei quase nada de sua vida mais.
-Não devia ficar tão longe!
-Devia sim... Acredite!
-Foi por isso que deixou o emprego com seu pai né? Só pra ficar longe de mim. No fundo acho que você sempre quis isso.
-Não! Não é assim. Não me julgue dessa forma. - Suas palavras eram completamente agressivas e eu senti toda aquela dor que ele me causava.
-É assim sim! Sempre foi! Você nunca se importou. Você me deixou a 5 anos atrás. Quando nos tornamos amigos, simplesmente me deixou outra vez. Você sempre faz isso. Conseguiu o que queria não é?! Conseguiu provar a sí mesma que conseguiria me iludir a hora que quisesse! Você não tem coração!
-Para! -Tapei meus ouvidos e comecei a chorar. A noite havia chegado e eu nem percebi. Nesse momento ele segura meus braços para que eu o escute e olha nos meus olhos.

-Sabe por que você faz isso? É porque eu sou um idiota! Porque eu sempre te amei! Porque eu nunca consegui te esquecer. Só que você nunca mais vai entrar em minha vida! Eu nunca mais vou permitir que você me engane. Que engane meus sentimentos! Adeus!
O plano era ser feliz...

Ele simplesmente se foi. Seus passos eram fortes e apressados. Eu apenas me sentei no chão e recostei-me na proteção do calçadão. Minhas lágrimas caiam sem cessar. Ardiam como nunca arderam antes. Eu devia ter dito os verdadeiros motivos para ter me afastado dele. Mas não adiantaria. A imagem que ele faz de mim ainda é a mesma daquela pessoa que ele conheceu no passado. Aquela que o fez sofrer tanto. Eu mudei... Mas é difícil fazer com que ele perceba isso. Apoiei minha cabeça em meus joelhos e chorei se hesitar. Chorei por lembrar daquela tarde. Da briga. Chorei por lembrar dos bons momentos ao seu lado e chorei de arrependimento por tê-lo perdido tantas vezes...


Comentários