O pra sempre sempre acaba?

Um sonho.
A noite havia chegado. Caminhei até o terminar rodoviário e me dirigi para a fila do 526. Aquele lugar estava lotado como sempre. Afinal, eram cerca de sete da noite. Soltei o nó da gravata respirei aliviado. Tudo estava acontecendo como planejei. Eu estava realmente feliz. Então meu celular tocou. Era ela.

-Boa noite amor!
-Boa noite!
-Nossa! Estou morrendo de saudades de você!
-E eu de ti. Amor, pode vir aqui em casa agora? Precisamos conversar. - Seu tom era sério. Senti um nó na garganta, mas não imaginei que fosse uma coisa ruim.
-Tudo bem amor. To indo ai agora.
-Ok! Até já.
-Até.

Ela desligou antes que eu dissesse que a amava. Imaginei que realmente era algo sério. Tentei não focar nesse assunto. Apesar de ela estar um pouco distante nesse último mês, sempre achei que era a escola que a deixava assim. Lembrei dos muitos momentos que passamos juntos. Não demorou muito até eu chegar em sua casa. Toquei a campainha e ela veio até o portão para me atender.

-Boa noite amor da minha vida! - Disse eu todo empolgado a beijando.
-Boa noite amor! - Disse ela rindo. Mas logo em seguida mudou o semblante do rosto. - Vem! Entra!
-Tudo bem! Com licença.
-Fala sério! - Ela fez cara de pouco caso.

Tem que ser assim?

Passei pela sala e apenas seu pai estava em casa. Estava sentado no sofá que ficava virado para a tv. "-Boa noite Sr. Cláudio!" - Disse eu ao passar pela sala. "-Boa noite meu filho!" - Foi o que ele me disse. Ele sempre tratava bem. Era tão bom comigo quanto eu tentava ser com ele. Também me dava muito bem com a minha sogra. Ela me levou até o quarto e sentamos em sua cama. Eu fitava seus belos olhos azuis. Eram tão claros que me deixavam em dúvida se eram realmente azuis ou transparentes. Ela parecia bastante preocupada. A situação era tensa e eu ja começava a ficar com medo.





-Bom, então me diga o que esta havendo. - Disse eu tentando adiantar as coisas.
-Podemos conversar um pouco antes de falar sobre isso? - Ela estava apreensiva.
-Tudo bem. - Senti uma pequena falta de ar nesse momento e um aperto no peito.
-Você sempre me fez muito feliz e sabe disso né?!
-Eu me esforço o máximo para retribuir a felicidade que você me faz sentir.
-Bobo! - Disse ela envergonhada.
-Eu te amo! - Disse eu colocando minha mão em seu rosto por baixo de seus belos cabelos castanhos.
-Acho melhor eu não enrolar muito... - Ela baixou os olhos ao dizer isso.
-O que esta acontecendo? - Eu ja estava começando a perceber do que se tratava.
-Olha, quero que você saiba que você não tem culpa de nada! Sou eu...
-Eu ja sei! - Disse eu interrompendo-a. - Eu ja sei do que se trata. É sempre assim!
-Por favor, me deixe explicar? - Ela estava quase me implorando isso.
-Não tem o que explicar! Eu ja entendi! Eu vou embora!
-Por favor, não torne isso mais difícil...
-Não tem o que explicar! É isso!
-Por favor?
-Ta bom! Fala.
-Você é a melhor pessoa do mundo! É um ótimo namorado! Eu nunca vou ter nada para reclamar de você. Sempre atencioso... O problema é comigo. Ultimamente tem acontecido algumas coisas...
-Você deixou de me amar?
-Me deixe terminar de falar! Olha, eu realmente quero muito me desculpar. Sei que você não merece alguém como eu e sei que vai encontrar uma pessoa muito melhor do que eu poderia ser pra você! Tenho certeza disso! Você merece! E merece muito! E como eu te prometi, sempre vou dizer a verdade. E agora quero ser honesta contigo. Acho que nossa história tem que ficar por aqui. E eu quero muito ter a sua amizade!
-Você deixou de me amar? - Eu perguntei olhando em seus olhos.
-Sim... - Respondeu ela baixando a cabeça. - Eu não quero perder a sua amizade. Eu não quero me afastar de você! Eu só aprendi a te amar como amigo agora e...
-Tem outro? - Perguntei interrompendo-a. Seus olhos ja lacrimejavam e ela sabia que não poderia mentir quanto a isso.
-Tem sim... Mas eu não traí você! Antes de qualquer coisa, eu quis vir falar contigo. Quis ser honesta com você.
-Tudo bem. Relaxa. - Meu mundo havia acabado de desabar.
-Me desculpe... - Seu olhsr era realmente comovente e eu sabia que aquele pedido de desculpas era sincero.

Vai ser difícil sem você.
Ela veio e me abraçou chorando muito. Eu não derramei nenhuma lágrima. Não valia apena! Eu a amava, mas agora tinha que seguir em frente. Mudei minha vida por ela. Tive vontade de perguntar se ter feito tudo não tinha valido apena. Mudei de cidade para ficar mais perto dela, trabalhei duro para crescer e construir nosso futuro, ja havia até comprado as alianças pro nosso "casamento". Eu iria fazer o pedido no mês seguinte, quando completaríamos 4 anos juntos. Queria jogar tudo na cara. Mas eu não sou o tipo de cara que faz isso. Apenas me levantei. Me despedi do Sr. Cláudio e ela me levou até o portão. Como todo fim, ela me deu um beijo no rosto. Ir para casa nunca vou tão doloroso. eu desejava não ter acordado naquele dia. Ou então que viesse um carro e me atropelasse. Senti vontade de morrer. Mas isso não traria ela de volta. E nem eu queria mais isso. O chuveiro, meu velho companheiro me ajudou quando derramei as lágrimas. Dormir foi difícil. Sei que tenho que seguir em frente. " -Mas por que se tornou tão difícil sem você?" - Era o que eu me perguntava a todo instante.

Comentários

  1. poxa, bem bacana, curti, parabéns!
    e sucesso com o blog (;

    http://house-b.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Gostei, poxa vida, esses sãos os momentos mais doloridos a quem se ama, mas dizem que devemos seguir em frente e eu digo: no outro dia. No instante, o melhor é manter o equilíbrio, mas quando possível, se desequilibrar. A nossa vida é uma novela mexicana e se alguém que amamos já não nos ama mais, é o momento de gritar e depois sossegar e ir a luta. Uma coisa é certa, não se perde, porque ninguém é do outro, mas um relacionamento tem essas fases, então, sigamos de cabeça em pé, sabendo que fizemos o impossível...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por comentar!