Águas escuras.

Eu caminhava sozinho. A chuva fina molhava levemente meu rosto. O capuz do casaco cobria meu cabelo, mas já estava bastante molhado. Dispensei o guarda-chuva naquele momento. Eu caminhava e sentia ela cada vez mais distante. Eu não sabia se chorava ou se tomava a atitude certa. Como seria morrer? Será que eu sentiria dor? Com certeza não seria pior do que a que sinto agora. Agora estou descendo a calçada. Estou caminhando até a beira do mar. O vento sopra cada vez mais forte e a chuva se intensifica. Meus ossos estão doendo. O frio é insuportável. Nesse momento as ondas já alcançam meus pés. Eu tiro meus sapatos e dobro a barra da calça. Meus pés estão dormentes. A chuva cai bem forte e toca meu rosto se misturando com as lágrimas que saem de meus olhos vermelhos. As músicas da minha banda favorita estão em minha mente. Creed ... É tudo o que me resta agora. Chorar ouvindo as músicas que me fazem lembrar dela. Então nesse momento eu grito. Bem forte! “ –Ahhhhhhhhh! Vida desgraçada! Eu odeio viver! Eu odeio tudo isso! Deus? Esta ai Deus? Nunca esteve nem nunca estará! Você é uma farsa, como eu... “ – senti os soluços do meu choro nesse momento. No fundo eu sabia que minha blasfêmia não valia de nada. Eu sabia que existia um Deus e que Ele estava ali. Sabia que a minha revolta era comigo mesmo. Eu a perdi porque eu menti. Porque eu errei. Porque eu não vi o que realmente deveria ver. Eu não confiei... Eu não fiz por onde merece-la. E eles? Eles estão lá. Sorrindo e se divertindo com suas vidas fúteis. Eles não se importam mais comigo. Não tem mais motivos para me invejar. Eu achei que tinha conseguido tudo. Dinheiro, fama... A vida que eu sempre quis. Não entendi que ela era mais importante que tudo e... Eu a perdi. Viver vem se tornando uma opção nesses últimos dias. Uma opção que não desejo mais. Estou caminhando e a água está em meu pescoço e as vezes a onda me cobre. Fecho meus olhos... Deixo que o mar me leve... Sem destino, sem direção... A deriva. Como a minha vida hoje esta.




Por Pierre Martins

Comentários