Surpresas de uma vida.



- Droga! Por que você ta fazendo isso comigo? – esbravejou entre lágrimas.
- E eu to fazendo o que? É errado sentir o que eu sinto? É errado te amar e lutar por você? – senti uma veia pulsar em meu pescoço. – Eu não te entendo. Sinceramente, eu não entendo você!
- Você não sabe o que passa dentro de mim. Você não sabe...
- Então me fala, pô! – gritei deixando que toda a minha raiva saísse e após alguns segundos em silêncio, amansei minha voz. – Pelo amor de Deus, me diga o por que não podemos ficar juntos...
- Eu te amo... Você não tem noção do quanto eu te amo... – baixou a cabeça e, após fungar o nariz, franziu o cenho e prosseguiu. – Eu juro que meu coração escolheria você. Você sempre seria a minha escolha...
- Então por que a gente não pode ficar junto? Por que a gente não pode criar nossos filhos juntos? Eu quero que você seja a mãe dos meus filhos... Quero fazê-la Feliz... – supliquei. – Quero uma filha tão linda quanto você...
- Não posso... – desabou em lágrimas.
- Por que não? – sequei suas lágrimas com meu polegar. – Que segredo é esse? Por favor, me conte...
- Você me diz que quer filhos, família... Tem sonhos, planos... Quer uma filha minha...
- Sim! É o que eu mais quero.
- Eu não posso... – ajoelhou. – Eu não posso... – desabou em lágrimas enquanto sua voz sumia.
- Você pode, meu amor! – sussurrei enquanto me ajoelhava diante dela. – Você pode...
- Não... – balançou a cabeça enquanto me olhava com tristeza em seu olhar. – Eu não posso roubar todos esses seus sonhos. – sua voz sumia e eu sentia um terrível nó em minha garganta. – Eu não posso te dar filhos... Eu sou seca.

Senti o chão sumir. Meus olhos ardiam. Minha garganta estava seca. Eu me senti em um deserto. Senti uma explosão de dor de cabeça que foi conseqüência de uma inédita angústia. Eu tentei me recompor. Vi toda a minha vida passar diante dos meus olhos naquele momento. Cada erro, cada acerto. Cada lembrança boa e cada lembrança ruim.
Me senti num daqueles engarrafamentos na saída da avenida do contorno, em Niterói, sentido BR 101/Norte, onde só havia buzinas, uma enorme dor de cabeça e o desespero de que tudo aquilo acabasse logo.
Nada seria como antes. Eu tinha uma escolha a fazer. Nada se comparava aquilo em toda a minha vida até ali.
Tudo o que eu mais queria em minha vida era ter um filho. Ter uma continuação de que eu sou. O grande amor da minha vida não poderia me dar esse filho. E não importava qual fosse a minha escolha, eu seria sempre incompleto. Mas eu a amava. Estar com ela era como sentir a brisa suave de outono em frente ao mar de Saquarema. Abraçá-la era como envolver-se em um edredom numa tarde fria de inverno. Eu podia sentir que ela era o meu mundo inteiro. Então eu sorri. Eu pude imaginar o nosso futuro. Pude ver nossas pegadas na areia da praia, pude ver ela diante o espelho da penteadeira se arrumando para ir a alguma festa comigo, pude ver ela cozinhando enquanto eu estava sentado em algum lugar, com a promessa de que lavaria a louça... Podia sentir o seu corpo quente me aquecendo enquanto dormíamos juntos... Isso era o que eu desejava que acontecesse em nosso futuro... Um filho viria da maneira que Deus quisesse. Nós poderíamos adotar... O meu amor por ela era maior que os medos e incerteza.
Eu a abracei bem forte. 
Senti suas lágrimas molharem minha camisa. Pude ver o quanto seu sofrimento era grande, mas eu queria estar com ela. Eu queria fazê-la sorrir.


- Eu não me importo que as coisas sejam assim. – suspirei. – Eu só quero estar contigo. Deus se encarrega de todas as outras coisas. Eu te amo! Me deixa te fazer feliz?
- Eu não vou fazê-lo completo...
- Claro que vai! – sorri e sequei suas lágrimas. – Quer ser minha para sempre?
- Júnior... – seus olhos brilharam e ela sorriu. – É o que eu mais quero meu amor!

Então permitimos que nossos lábios se tocassem. A primeira de muitas até o último dia de minha vida.




Comentários

  1. Me Apaixonei. E como uma luz entrasse no quarto onde estou, que me permite jogar fora o muro que está em mim e dar a chance de encontrar alguém. Ou me encontrar. Uma forma de ser feliz, não sozinha e sim ao lado de uma pessoa que possa me amar. Amar as minhas qualidades, meus defeitos, as minhas manias, os meus ciúmes, as minhhas implicações; e que amado seja.
    É uma inspiração. É como que eu precisasse de alguém assim. Pois sinto incompleta. Sou nova, eu sei. Mas o medo de estar sozinha me apavora...
    Enfim. É LINDO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só fica só quem decide ficar só! Todos podem ser felizes com alguém. Só se permita encontrar essa pessoa. :)
      Obg! rs' ^^

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por comentar!