Adolescência.



“-Quem nunca errou?” – Era tudo o que eu pensava após saber que ele estava namorando outra garota. Nem sei por que eu pensei nisso! Faz pouco mais de um ano que terminamos e eu não gostava tanto assim dele. Aliás, eu terminei com ele. Ainda me lembro da cara daquele babaca. É impossível esquecer a sua lastimável reação.


Sempre fui assim! Sempre me achei superior a todos os caras com quem me envolvi. Não que tenha me envolvido com muitos caras. Na verdade foram apenas dois.
O verão havia chegado. Meus pais ainda brigavam muito em casa. Eu no fundo tinha certeza que um dia eles iriam se separar. Eles só não imaginam que isso me magoa muito!
Essa é a parte chata de ser filha única. Só de pensar em ver meus pais divorciados meu mundo começa a desabar. Eu sempre quero todo carinho, toda atenção só pra mim! Eles são meus e eu os quero juntos sempre!

Meu início de ano foi um tédio total! Não fiz nada de bom. Saí poucas vezes. Na verdade já estava chata aquela velha rotina de apenas ir ao shopping. Foi então quando o abençoado do meu pai teve aquela ótima ideia: “-Vamos para a Região dos Lados.” – Lógico que fiquei animada. Podia ir a praia todos os dias. Podia ver meus amigos! Foi tanta euforia! Mas isso também me deu um certo frio na barriga. Eu vou vê-lo novamente.

Meus pais tinham uma casa em Iguaba Grande. Uma pequena cidade na Região dos Lagos que fica no Estado do Rio de Janeiro. Não que a cidade seja maravilhosa, mas é bem tranquila e esta perto de todas as outras cidades legais que ter mar. A grande maioria dos meus amigos vão estar lá por perto.  A parte ruim é que ele mora por lá. Não que eu goste dele. Não que isso seja de alguma forma importante pra mim, mas não queria vê-lo outra vez. Na verdade não sei se estava triste ou feliz por vê-lo. Talvez isso nem mesmo aconteça.

Tudo estava praticamente certo para a viagem. Até que aquela velha discussão começou. Meus pais brigaram como nunca haviam feito antes. Corri para o meu quarto, me tranquei e comecei a chorar. “-Eles não sabem o quanto tudo isso me machuca.” – Chorei tanto que tive uma forte dor de cabeça. Como era de imaginar, nossa viagem foi por água a baixo.

Meus olhos ainda ardiam um pouco, até que peguei no sono. Pra variar, sonhei com ele.


Por Pierre Martins
Fragmento do livro: Adolescente, 2013.

Comentários