O que é viver?

Quem é de verdade ...
Viver. O que é viver?
Uma vez me disseram que viver é curtir. Aproveitar o curto espaço de tempo que teremos aqui. Experimentar de tudo: bebidas, comidas, drogas, sexo dos mais variados tipos, enfim, prazeres que só a carne pode dar.
Lamento dizer isso, mas grande parte dos meus amigos pensam dessa forma. Lamento por ter amigos dependentes químicos, alcoólicos, homofóbicos, racistas, neoliberalistas, criminosos... Enfim, sei muito bem o que falo quando digo que conheço isso que eles chamam de vida.
Outro dia me ofereceram um “baseado”. Eu perguntei se era bom e logo em seguida me responderam que essa era a melhor viagem que eu faria na minha vida.
Viagem... Eu sempre quis conhecer lugares exóticos. Gosto de viajar, mas não sou o tipo que quer viajar parado. Sou um explorador. Um conquistador! Então eu respondi que a viagem que eu queria fazer naquele momento era até Miami – USA. Então me falaram sobre a cidade. Metade da praia usa biquíni e a outra faz topless. Ouvi dizer que em Miami você vive um “filme pornô da vida real”. Confesso que logo me interessei no assunto. Me disseram que era um lugar maravilhoso! Verão com praia, muitas mulheres “gostosas”, muito sexo, enfim, me disseram que lá eu realizaria meus sonhos!
Sonhos... Acho que sexo e drogas não fazem parte de meus sonhos. Foi o que argumentei. Então me questionaram qual era meu sonho. Logo respondi que queria me casar e ter minha família. Não entendi as gargalhadas que deram nessa hora. Alguém se levantou e disse que casamentos não existiam mais nesse tempo. Que a família já havia deixado de existir a alguns anos. Insistiram que isso não tinha mais importância. Então argumentei que se era algo tão sem valor, por que pessoas ainda lutam tanto por isso. Então me apontaram e perguntaram que tipo de pessoa idiota queria se casar hoje em dia. Eu respondi que homossexuais lutam por isso. Em seguida, após ver todos se calarem, perguntei se isso não tinha mais tanto valor, por que a mobilização para eles conseguirem era tão grande. Ai me responderam que eles lutavam para serem aceitos. Então perguntei quem os rejeitava. Me responderam que a sociedade os rejeitavam. Então eu disse: a sociedade não somos nós? Nós rejeitamos os homossexuais? Então me responderam que eles não, mas os “crentes”, como eu, os rejeitavam. Eu não pude acreditar no que acabara de ouvir. Outro se levantou e disse que “crentes” eram homofóbicos. Confesso que em meus vinte e dois anos, jamais vi um Cristão praticar atitudes homofóbicas. A não ser que em nosso pais Laico e de livre liberdade de expressão e opinião tenha mudado e se tornado uma sociedade fechada e centrada em algum novo tipo de ideal elitista, ou posso dizer até mesmo neonazista perseguindo opiniões divergentes. Sim, tenho amigos homofóbicos. Mas acredito que são racistas e praticam o “curtir” a vida. Conheço pelo menos três que se drogam e começam a abrir a “torneirinha de asneiras”. Há também aqueles que acham que tudo é permitido. Seguem um lema de que “devemos fazer tudo aqui”. Acredito que pessoas como eles serão nossos futuros racistas, homofóbicos, estupradores, pedófilos, traficantes, políticos... Um homem sem limites é como um barco sem leme. Se não existe limites é porque não existe valores. Sem limites e valores, não tem motivos para seguir leis. Sem leis a sociedade se torna uma selva. Após pensar nisso tudo, eu apenas respondi que eu não era homofóbico e que tinha amigos gays e que os amava como amo a mim mesmo. Assim Jesus me ensinou. E cada um vai dar conta de si.
- Jesus? – me perguntou um deles. – Jesus não é juiz de nada. Duvido muito de sua existência. Um monte de “babacas” acreditam nessa palhaçada. Mas sabe o que eu acho? Não se deve acreditar em um livro escrito por um monte de pilantra a num sei quantos anos. Tudo manipulado pela igreja. E tudo em nome de uma “liberdade” mentirosa. Bando de trouxas!
Então logo argumentei que as palavras dele estavam completamente equivocadas e expliquei que as palavras que ele acabara de inferir contra uma religião o colocava ao mesmo nível de um racista ou de um homofóbico. Então perguntei: o que é liberdade para vocês? Eles me responderam: poder fumar, transar, experimentar, beber, curtir...

... sabe quem é de mentira.
Depois de um sorriso desapontado eu disse: vícios? É isso que chamam de liberdade? Algo que vocês não conseguem nunca se libertar? Na boa, pra mim liberdade é poder viver debaixo das leis, dos valores, da fé...
Quero fazer muito amor sim, mas com a mulher que eu amo. Respeitando-a. Fazendo com que ela se sinta bem e feliz e completa!
Quero sim ter minha família, mas debaixo da vontade de Deus. Quero algo duradouro e sei que só pode ser assim se for com a pessoa certa. Os relacionamentos hoje acabam porque não existem mais valores e nem fé e nem respeito. Ninguém espera a pessoa certa. Se vêem para transar. Isso é um sonho? Isso é curtir?
Quero viver bem e só existe um jeito de fazer isso: entender que a vida não é passageira, mas ainda existe a eternidade. E é lá que eu pretendo “viver”. Nossa carne vai acabar e seus prazeres também, mas o espírito permanece.
A grande viagem que quero fazer é em direção ao paraíso!

É o que eu acho. Aceita minha opinião?



Por Pierre Martins

Comentários