Irreal.

Detesto não saber o que escrever. Hoje não estou muito bem. Acho que são as musicas que me entristecem. Por mais que sejam lindas, me levam a dias que foram bons de mais, porém ficaram para trás.
As vezes acho que minha mãe tem razão: eu perdi o brilho no olhar.
Confesso que tenho estudado bastante física quântica e isso tem me atrapalhado na contabilidade. Mas Einstein, com sua teoria da relatividade, me deu uma esperança de voltar no tempo e concertar algumas coisas. Estou me aprofundando para achar uma forma de distorcer o tempo através do espaço e concertar meu passado.
Talvez eu possa voltar e impedir que as palavras se tornem palavras ao vento. Talvez eu reencontre o brilho em meu olhar. Talvez eu volte a uma praia ou a uma pizzaria. Talvez eu vá e me encontre debruçado no peitoril da sacada daquele minishopping. Talvez eu diga a mim mesmo para não me apaixonar por aquela menina que esta usando o casaco preto com bolinhas brancas. Talvez eu vá até aquele domingo e me convença de que preciso dormir ao invés de ir a praia. Talvez eu vá bem antes de tudo isso e não permita que eu tenha aquela conversa e não mude de opinião. Assim eu continuaria não acreditando em amor. Assim eu continuaria sendo aquele mesmo cara de sempre. Assim eu seria quem eu sou hoje sem um passado de mágoas para ofuscar o brilho em meus olhos.

Mas se nada funcionar, eu vou tentar dormir mais. Sei que to precisando. Um dia vou acabar entendendo o porque de tudo ter acontecido como aconteceu.
Afinal, não há nada que o tempo não possa curar.




Por Pierre Martins

Comentários