Sonhos.

Ainda posso sentir o vento gelado daquela noite. As pessoas indo e vindo. Muitos sorrisos e abraços. A maresia ofuscava as luzes daquela que seria a ultima noite do ano. Meus pés estavam enfiados na areia gelada da praia e meus braços envolviam seu corpo em uma tentativa de aquecê-la. Queria fazer com que ela se sentisse protegida. Certamente ela havia entendido isso. Enquanto olhei as luzes da igreja no alto da colina, viajei por todos os dias de meu passado. Pude refletir em cada passo que dei até chegar ali. Pensei em tudo o que havia ficado para trás. Naquele momento, eu não me importava em abrir mão do que fosse preciso por ela. Confesso quem nem todas as lembranças foram boas. Afinal, o que nos faz perfeitos e únicos são nossas imperfeições, certo? Acho que funciona assim também em relacionamentos.
Eu queria ter dito muitas coisas naquele momento, mas no fundo de meu coração algo dizia que não era necessário. De alguma forma eu sabia que nosso amor estava acima de qualquer palavra. Eu estava certo de que conseguia dizer o quanto a amava apenas olhando em seus olhos.
Não me lembro em que momento comecei a orar a Deus. Mas sei que agradeci por tudo. Em meu peito transbordava uma felicidade incompreensível. Nossa, ainda me sinto naquele lugar!
Eu sentia que meu amor por ela seria capaz de estar acima de tudo! Eu tinha certeza que juntos poderíamos enfrentar qualquer coisa. Sonhei com nossos primeiros passos juntos. Nossas primeiras dificuldades... A casa alugada, os poucos moveis, os dias que chegaríamos tão cansados do trabalho que mau nos falaríamos. Sonhava com nossas primeiras metas alcançadas, nossos primeiros... ah, tudo o que viveríamos! Filhos, sobrinhos e depois netos... E depois eu a deixaria. Eu esperaria ansiosamente por ela em nossa eternidade!
A contagem regressiva havia começado e, a cada segundo, uma cena de nossas vidas se passava...


Cinco: Eu vi nosso primeiro beijo. Nossa primeira conversa juntos. Nosso primeiro abraço...

Quatro: Nossa primeira briga e nossa primeira reconciliação. O dia em que ela aceitou ser “minha para sempre”.

Três: Nossa primeira despedida. A promessa que fiz de que nunca a deixaria. O abraço entre lágrimas. O dia em que eu entendi que a amava.

Dois: Nossa primeira vez. A promessa de que nos casaríamos. A estrela mais brilhante do céu. As pessoas que estariam de lá olhando para nós dois. As coisas que eram só nossas... que só nós dois podíamos entender.

Um: Ela me beijou.


Por Pierre Martins

Comentários